a provável solução para covid e cancro

0
6789

Tatiana / Pixabay

Novo medicamento foi testado em ratos infectados com coronavírus. Reduziu de forma sucoso a trouxa viral nos pulmões.

Labareda-se HA15, foi o núcleo de um estudo e pode ser um medicamento eficiente na luta contra a COVID-19 e contra o cancro. Sim, em simultâneo.

Especialistas da Universidade da Califórnia do Sul e do Meio de Inovação e Pesquisa da Clínica Cleveland, na Flórida – ambos nos EUA – são os responsáveis por esta provável inovação.

Publicaram na revista Nature Communications um estudo que envolveu a estudo do novo medicamento, o HA15, que foi testado em ratos infectados pelo coronavírus.

Amy S. Lee liderou a investigação, que mostrou que uma proteína conhecida porquê GRP78 tem um papel importante na propagação do SARS-CoV-2, explica o portal Interesting Engineering.

Por isso, bloquear a produção da GRP78 seria precípuo para travar o vírus que origina a COVID.

E foi isso que o HA15 conseguiu fazer, dificultando a diligência da proteína e impedindo assim a replicação do vírus.

Ou seja, em vez de se estar a “perseguir” o vírus – que está sempre a mudar e com novas variantes, porquê sabemos – cá ataca-se uma proteína que ajuda a gerar o vírus.

Os responsáveis por oriente estudo verificaram que as células epiteliais do pulmão humano infectadas com SARS-CoV-2 produzem níveis mais altos de GRP78, à medida que a infecção viral se intensifica.

Por isso, e sem interferir com outros processos celulares, conseguiram colocar uma instrumento peculiar de RNA para controlar a produção dessa proteína. Uma espécie de argola protector.

Quando essas células mais protegidas foram infectadas com coronavírus, produziram menos proteína Spyke viral. Ou seja, a GRP78 era mesmo precípuo para a replicação e produção do coronavírus.

A seguir, testaram o HA15 nas células pulmonares infectadas e esse medicamento também foi eficiente contra células cancerígenas.

O HA15 foi testado em ratos geneticamente modificados, infectados com coronavírus, e descobriram que o medicamento reduzia amplamente a trouxa viral nos pulmões.

Esse medicamento e o YUM70 prometem conseguir reduzir substancialmente a produção de proteínas mutantes KRAS – uma mutação frequente, que resiste aos medicamentos – e reduzir a produção de células cancerígenas (pâncreas, pulmão e cólon).

Ainda serão mais ensaios, mais estudos, para provar que HA15 e YUM70 são seguros e eficazes em humanos.

  ZAP //

Deixe um comentário