Arqueólogos podem ter desvelado lendário templo de Poseidon

0
5103

Kedar Gadge / Unsplash

Arqueólogos podem ter encontrado o santuário de Poseidon enquanto realizavam escavações na Acrópole de Sámico, na Grécia.

Sámico era uma cidade na antiga Élida, situada perto da costa a meio caminho entre as fozes do Alpheius e o Neda.

Poseidon é o deus heleno do mar, dos terramotos, das tempestades e dos cavalos. Protetor das águas e facilitar dos marinheiros, também era chamado de deus da fertilidade na mitologia grega.

Segundo a mitologia grega, Poseidon empunhava um tridente criado pelos três ciclopes. Porquê o deus dos terramotos, muitos templos dedicados a Poseidon estavam localizados em terreno, mas às vezes eram construídos sobre piscinas ou riachos, explica a Encyclopedia Britannica.

A confirmar-se a teoria dos investigadores, a sua invenção corroboraria as afirmações feitas por Estrabão. O historiador, geógrafo e filósofo heleno foi responsável da monumental obra “Geografia”, um tratado de 17 livros que contêm a história e descrições de povos e locais de todo o mundo que lhe era publicado à idade.

Em “Geografia”, o macróbio historiador descreve o santuário do deus do mar porquê um meio crítico de identidade religiosa e étnica para os estados vizinhos.

“Com base nas informações transmitidas por Estrabão no 8.º livro da sua ‘Geografia’, o meio de ilustrado regionalmente importante da anfictionia das cidades de Triphylia estava localizado cá”, explicou um enviado da filial ateniense do Instituto Arqueológico Austríaco (AAI).

As ruínas foram descobertas especificamente em Élida, onde a invenção do santuário devotado a Poseidon foi feita na antiga Acrópole de Sámico, escreve o Ancient Origins.

Uma grande parta da instauração do prédio foi desenterrada, medindo 9,4 metros de largura, com paredes de pedra de 80 centímetros de espessura. O templo deverá datar do século 6 aC.

Com base nas medições da equipa de arqueólogos, o um prédio devia ter 28 metros de comprimento, com duas salas, juntamente com um vestíbulo e um santuário. Isto ajudou a confirmar a verdade da asserção de que leste era, de facto, um templo.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe um comentário