Arquólogos encontram 76 crianças com os corações arrancados no Peru

0
4415

Huanchaco Archaeological Program

A escavação que encontrou 76 esqueletos de crianças sacrificadas no Peru.

Foram encontrados os esqueletos de 76 crianças com os corações arrancados do corpo, no Peru. Os cientistas não sabem o porquê deste sacrifício.

Num cenário verdadeiramente macabro, os sobras mortais de dezenas de vítimas de sacrifícios de crianças foram desenterrados no Peru, e muitos mais provavelmente estão à espera de serem encontrados, dizem os arqueólogos.

Os esqueletos agora encontrados mostram evidências de que os corações das crianças foram removidos, disse Gabriel Prieto, que dirige as escavações em Pampa La Cruz, onde os sobras foram encontrados.

Todos os 76 esqueletos tinham um “golpe transversal no esterno”, disse Prieto, o que sugere que “possivelmente eles abriram a caixa torácica e, de seguida, possivelmente extraíram o coração”.

“Eles foram enterrados numa posição estendida, com os pés voltados para leste”, disse Prieto à Live Science. “Eles foram enterrados em cima de um monte sintético”.

Nem os investigadores parecem saber porque é as crianças foram enterradas nestas condições. “Acreditamos que a espaço, e particularmente o montículo, estava livro de sacrifícios de crianças Chimu, mas descobrimos o contrário”, salientou o arqueólogo.

A cultura Chimu é uma cultura pré-colombiana que se desenvolveu a partir dos vales dos rios na costa do Peru, entre os séculos X e XV, no mesmo território onde teria já ocorrido a cultura Mochica, tendo possivelmente continuado o seu legado.

Desde o início das escavações em Pampa La Cruz já foram encontradas 323 crianças vítimas de sacrifício. Ou por outra, também foram encontradas outras 137 crianças e três adultos vítimas de sacrifício num sítio próximo chamado Las Llamas.

Prieto e os seus colegas ainda esperam encontrar mais crianças sacrificadas. “Podem ser mais de 1.000 vítimas, por mais louco que pareça”, atira o investigador.

A datação por radiocarbono determinou que os 76 esqueletos encontrados datam entre 1100 e 1200. Ao contrário dos Inca, a razão pela qual os Chimu envolveram-se em sacrifícios de crianças em tão grande graduação não é conhecida.

Rituais que envolviam o sacrifício de crianças não eram propriamente inéditos nesta profundidade da História. O Capacocha era um importante ritual de sacrifício entre os incas que normalmente envolvia o sacrifício de crianças.

Crianças de ambos os sexos eram selecionadas de todo o predomínio Inca para sacrifício em cerimónias realizadas em santuários conhecidos porquê huacas. O sacrifício era realizado principalmente através de quatro métodos: estrangulamento, golpe na cabeça, asfixia ou funeral vivo.

Além de mascarem as folhas de coca, as crianças também consumiam uma bebida alucinogénica chamada ayahuasca, um tipo de psicodélico que pode afetar os sentidos, habilidades cognitivas, emoções e promover alucinações.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe um comentário