As alterações climáticas estão a mudar a cor da Terreno

0
5404

huskyte / Flickr

Lago Lucerna na Suíça

As águas mais quentes levam à proliferação das algas, que mudam os ecossistemas e transformam os lagos azuis em verdes.

Não é por zero que a Terreno é conhecida porquê planeta azul. Murado de 71% da superfície do planeta está coberta por chuva, o que lhe dá a sua distinta cor azul que se destaca tanto no meio do vermelho marciano e do amarelo acastanhado de Júpiter.

Mas há uma mudança a sobrevir. Um novo estudo publicado na Geophysical Research Letters traça um cenário preto sobre o horizonte do nosso planeta devido às alterações climáticas — e uma das consequências previstas é a mudança da cor das águas no nosso planeta.

O aumento das temperaturas globais está a mudar os lagos azuis, que estão agora a comprar uma cor mais lúgubre e virente acastanhada. A cor dos lagos é determinada por vários factores, principalmente a quantidade de algas e de sedimentos. A temperatura do ar, a precipitação, e a profundidade e elevação de um lago também influenciam o tom das suas águas.

Presentemente, menos de um terço de todos os lagos na Terreno são azuis e os restantes dois terços são verdes e castanhos. Os lagos azuis costumam ser profundos e encontrados em regiões mais frias, de latitude mais subida e com mais precipitação. Já os lagos verdes e castanhos são mais comuns em zonas mais secas, no interno continental e ao longo das costas, relata o IFLScience.

A novidade pesquisa analisou mais de cinco milhões de imagens de satélite relativas a 85 360 lagos e reservas de todo o mundo entre 2013 e 2020, comparando as alterações nas cores. A equipa criou um planta interactivo que mostra os resultados das imagens.

Com o aumento das temperaturas e o clima mais sedento, os lagos azuis estão a tornar-se cada vez mais raros devido à proliferação das algas, que lhes dão um tom mais verdemar.

“Ninguém quer nadar num lago virente. Por isso, esteticamente, alguns lagos que sempre vimos com refúgios ou lugares espirituais vão debutar a vanescer com a mudança das cores”, explica Catherine O’Reilly, ecologista aquática e autora do estudo.

No entanto, as mudanças estéticas são o menor dos problemas. A mudança da cor é um sinal de que estes ecossistemas estão a mudar drasticamente, o que vai afectar flora e fauna que lá vivem e dependem destes lagos.

“Pode possuir períodos em que a chuva não é saudável e as espécies de peixe podem já não estar presentes, por isso não vamos ter o mesmo serviço dos ecossistemas destes lagos quando mudam de azuis para verdes”, remata.

  Adriana Peixoto, ZAP //

Deixe um comentário