Biden segue União Europeia e fecha espaço desatento dos

0
12625

Aviões russos não poderão mais entrar no espaço desatento dos Estados Unidos, afirmou Joe Biden em seu primeiro reza de Estado da União na noite de terça-feira (10). Nas palavras de Biden, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, seria um “ditador”. 

“Esta noite estou anunciando que nos juntaremos aos nossos aliados para fechar o espaço desatento americano para todos os voos russos, isolando ainda mais a Rússia, e adicionando um aperto suplementar em sua economia. O rublo perdeu 30% de seu valor”, afirmou Biden.

O presidente dos EUA segue o exemplo da União Europeia, que anunciou medida similar no domingo (27).

Biden também defendeu a Organização do Tratado do Atlântico Setentrião (Otan), disse que Putin está “mais solitário do que nunca”, além de elogiar o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, e a “regra” do povo ucraniano.

“Ao longo de nossa história, aprendemos essa prelecção: quando ditadores não pagam um preço por sua agressão, causam mais caos. Eles seguem avançando. E os custos e as ameaças para a América e o mundo continuam subindo. É por isso que a Otan foi criada, para asseverar sossego e segurança na Europa depois da Segunda Guerra. Isso importa. A diplomacia americana importa”.

:: Acompanhe as notícias: conflito na Ucrânia ::

Sanções tecnológicas

A mais novidade sanção estadunidense se soma a outras adotadas pela Morada Branca na última quinta-feira (24), que tiveram uma vez que branco bancos russos e a suspensão das importações de subida tecnologia da Rússia.

A TSMC, maior e mais importante operário de semicondutores do mundo, anunciou que cumprirá com as sanções e deixará de vender seus produtos para a Rússia. Com sede em Taiwan, a companhia produz os chips mais avançados do mercado mundial.

Ainda na superfície tecnológica, a Apple declarou que deixará de vender seus produtos na Rússia.

Edição: Arturo Hartmann

Nascente: Brasil de Vestimenta

Deixe um comentário