Comunidade brasileira na Itália lança cardápio de fome

0
29820

Jair Bolsonaro chega ao G20 em Roma e, como em outras viagens ao exterior, são esperados os selfies do presidente enquanto come na rua com a sua delegação. Em um protesto criativo, a comunidade brasileira espalha pela Itália um panfleto do cardápio de fome que as pessoas sofrem no Brasil.

No documento destacam as notícias de famílias que cercam os caminhões de lixo para recolher restos de comida para se alimentarem, de pessoas que disputam restos dos matadouros e supermercados que vendem pés de frango a preço baixo, partes que até recentemente eram destinadas à reciclagem.

“A comunidade brasileira é variada e possui múltiplas visões sobre a situação no Brasil. Mas a fome não permite divisões: a fome é uma vergonha que une todas as pessoas capazes de experimentar o sentido de solidariedade e de justiça social. A fome é uma vergonha para um país do G20”, explicam.

Segundo os organizadores, é uma vergonha para o Brasil ver um presidente que nega a existência de uma situação social dramática em seu país. “Esta declaração representa o sentimento generalizado de indignação na Itália. Por isso preferimos que não fosse assinado por nenhum grupo específico ou associação de cidadãos. Fazemos parte da comunidade brasileira na Itália. Somos muitos e somos ‘la brava gente’ que não esquece o seu povo, os seus sofrimentos e o futuro que poderia ter com políticas sensatas destinadas a proteger os mais vulneráveis.”


Cardápio destaca “Só pratos desgostosos nas mesas brasileiras!” / Divulgação

Confira a tradução do cardápio.

Restaurante BOLSONARO desde 2018

Rua dos Loucos 01 02 03 04

Roma RM

“Só pratos desgostosos nas mesas brasileiras!”

Nova inauguração durante o G20 em Roma

Cardápio “E daí?”

“Uma seleção de pratos que nasce do desespero dos desempregados brasileiros”.

Entrada

– PÃO CROCANTE AMANHECIDO

Tostado em forninho improvisado com carvão obtido em florestas destruídas por incêndios criminosos causados pelos latifundiários apoiadores de Bolsonaro. 100% madeira ilegal e antiética.

Primeiro prato

– PÉS DE FRANGO À CANARINHA

No passado canarinho era o modo como as pessoas chamavam a seleção nacional de futebol, todavia, comer um canarinho significa que a pessoa come muito pouco, praticamente passa fome.

Segundo prato

– OSSINHOS DE NOVILHO ASSADOS

– PATE DE PELE DE TOMATE OGM

(contendo 421 pesticidas)

Até a presente data, o governo Bolsonaro autorizou o uso de 421 novos agrotóxicos na produção de alimentos para uso humano e animal. Ninguém está a salvo: aliás, a soja e o milho que integram a ração dos animais criados no exterior também podem chegar aos nossos pratos. Graças ao Bolsonaro o mundo está mais envenenado e as florestas estão mais destruídas!

Sobremesa

– BOMBONS MILAGRES DE FAMÍLIA

Para quem acredita que vendendo chocolates pode-se fazer crescer fortemente o patrimônio pessoal. Coisas que acontecem no Brasil …

Bolsonaro deve ter esquecido as 600.000 mortes oficiais causadas pelo COVID no Brasil, mas as famílias das pessoas falecidas, dos filhos órfãos, das enfermeiras e das professoras que morreram no trabalho não conseguem apagar de suas memórias. “E daí”; – disse Bolsonaro. E daí, deveria assumir sua responsabilidade ao invés de andar pelo Brasil e pelo exterior contando mentiras.



Cardápio apresenta “uma seleção de pratos que nasce do desespero dos desempregados brasileiros” / Divulgação

Menu “do quintal”

“O melhor do racismo numa combinação de desgosto inesquecível”.

Durante sua campanha eleitoral, Bolsonaro falou sobre os afro-brasileiros descrevendo-os com termos usados ​​para pesar mercadorias. Realmente, a mercantilização das pessoas é uma constante desde o colonialismo e tolhe a nossa dignidade.

É inaceitável que o presidente de um país do G20 use uma linguagem racista e degradante, mas é assim. Eles o aceitam e assim aceitam o neocolonialismo, o racismo e a perpetuação da tragédia brasileira, que de fato encobre a mentira da democracia racial que o governo brasileiro pretende vender para o exterior.

Aperitivo à moda de Davos

– CROCANTE DE CASCAS DE CAMARÕES DO PLANALTO

Ao contrário do que o governo Bolsonaro afirma sobre a ausência de corrupção, pertencer aos partidos aliados é um ótimo negócio: segundo os dados divulgados pela imprensa, um prato de camarões chega a custar 60 euros e os jantares partidários são reembolsados pelo Estado. Ótimo negócio, enquanto as pessoas examinam os caminhões de lixo para achar alimentos e aplacar a fome.

Primeiro Prato

– MASSA DO DIA ANTERIOR COM RABO DE PEIXE

Achávamos que já tinha passado o tempo em que Gilberto Gil cantava o desespero dos pobres que sonhavam com um rabo de peixe para matar a fome. Infelizmente, o Brasil voltou ao grupo de países onde a população passa fome. Mais que G20! Estamos acelerando em direção à pobreza generalizada em amplas categorias sociais …

Segundo prato

– RATATOUILLE DE VISCERAS

Um prato para horrorizar os ricos e o desesperar os famintos.

Sobremesa

– PÃO COM LEITE CONDENSADO À MODA BOLSONARO

Um disfarce usado para enganar eleitores falsos.

O Restaurante “Da Bolsonaro” em Roma é uma ficção. O desespero da população brasileira, por outro lado, é real e inaceitável. Um país do G20 não pode levar sua população à miséria só para aumentar os lucros dos latifundiários e investidores, que ganham com o desemprego e com o endividamento das famílias.

Chega! Estamos cansados ​​de mentiras e notícias falsas usadas para permitir que os bancos enriqueçam com a nossa desgraça, com a morte dos mais fracos e com a fome. Este não é um país do G20, é uma vergonha!

OS BRASILEIROS COMEM SOBRAS TODOS OS DIAS. É A FOME CHAMADA BOLSONARO

FORA DE BOLSONORO

A COMUNIDADE BRASILEIRA


:: Clique aqui para receber notícias do Brasil de Fato RS no seu Whatsapp ::

SEJA UM AMIGO DO BRASIL DE FATO RS

Você já percebeu que o Brasil de Fato RS disponibiliza todas as notícias gratuitamente? Não cobramos nenhum tipo de assinatura de nossos leitores, pois compreendemos que a democratização dos meios de comunicação é fundamental para uma sociedade mais justa. 

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

Fonte: BdF Rio Grande do Sul

Edição: Katia Marko

Fonte: Brasil de Fato

Patrocinado

Deixe um comentário