Em apelo à União Europeia, Ucrânia sobe tom e provoca:

0
5008

A Ucrânia subiu o tom nesta terça-feira (1º) em meio ao sexto dia do conflito deflagrado pela invasão de tropas russas. “Provem que está conosco”, disse aos países da União Europeia (EU) o presidente do país, Volodymyr Zelenskiy, durante uma videochamada realizada em reunião de emergência do Parlamento Europeu.

A provocação vem um dia depois de a Ucrânia solicitar oficialmente a ingressão no conjunto, que reúne 27 Estados-membros localizados no continente. Os líderes de oito países da Europa Médio e Oriental pediram, na mesma data, que a EU outorgue de súbito à Ucrânia a quesito de país candidato a integrar o conjunto, abrindo as tratativas que dizem reverência ao processo.

“Provem que não nos deixarão ir. Provem que são realmente europeus, e logo a vida vencerá a morte e a luz vencerá a trevas”, acrescentou Zelensky nesta terça, ao manifestar que a UE “será muito mais possante” ao se somar à Ucrânia.

O mandatário ucraniano foi aplaudido de pé depois o prece, em meio à presença de membros que trajavam roupas com símbolos de pedestal e solidariedade ao país. Entre outras coisas, alguns parlamentares trajavam camisas estampando a hashtag #ApoieaUcrânia.

Investidas russas

Paralelamente ao prece de Zelensky, a Rússia se aproximava de Kiev, a capital ucraniana, e bombardeava pontos de Kharkiv (Carcóvia, a segunda maior cidade do país), os principais ataques registrados até agora. O país sustenta que mais de 350 civis já morreram vitimados pelas investidas das tropas militares russas.

Depois a reunião do Parlamento Europeu, já nas últimas horas, foi registrado um ataque a uma torre de TV em Kiev. A ação, que veio depois de a Rússia anunciar que atacaria prédios militares, deixou pelo menos cinco mortos e cinco feridos. A informação foi repassada por Anton Herashchenko, assessor do Ministério do Interno da Ucrânia. 

A Ucrânia também afirmou que passou a assumir uma postura militar mais incisiva. O ministro das Relações Exteriores, Dmytro Kuleba, por exemplo, disse que a Ucrânia tem uma vez que seguir com os embates.

A revelação de Zelensky ocorre no mesmo momento em que o ministro da Resguardo da Rússia, Sergei Shoigu, anunciou o objetivo mais espaçoso de manter as tropas do país em território ucraniano. Na avaliação do mandatário, isso significa blindar a Rússia do que classificou uma vez que “ameaçadas externas vindas do Poente”.

Desde o primícias da escalada da tensão entre Rússia e o conjunto de Ucrânia, EUA e OTAN, uma das demandas do governo de Vladimir Putin era que o país, que faz fronteira com a Rússia, não se tornasse membro da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Setentrião). 

Edição: Arturo Hartmann

Manadeira: Brasil de Traje

Deixe um comentário