Encontrada a frase mais antiga de sempre, escrita no primeiro alfabeto do mundo

0
6319

Wilson44691 / Wikimedia

Laquis

“Que esta presa arranque os piolhos do cabelo e da barba.” É esta a frase que foi encontrada num pente de marfim, na cidade de Laquis. As análises concluíram que a escrita gravada no pente era de origem cananeia, o alfabeto mais idoso, inventado há tapume de 3800 anos.

Acredita-se que esta seja a frase mais antiga do mundo. Desenterrado em Laquis, a segunda cidade mais importante do Reino de Judá, localizada a 40 quilómetros a sudoeste de Jerusalém, o pente sugere que os humanos já sofriam com os piolhos há milhares de anos e mesmo as pessoas mais ricas não escapavam ao problema.

“A matrícula é muito humana”, disse ao Guardian Yosef Garfinkel, arqueólogo da Universidade Hebraica de Jerusalém, que ajudou nas escavações em Laquis. “Com o pente temos o libido de destruir os piolhos no cabelo e na barba. Hoje em dia temos os ‘sprays’, remédios e venenos modernos. Antigamente eles não tinham isso”.

O jornal britânico conta que o pente, que tem 3,5 centímetros de comprimento e 2,5 centímetros de largura, foi revelado no sítio, em 2017, mas as gravuras na superfície só foram encontradas em dezembro do ano pretérito. A estudo confirmou que a escrita é de origem cananeia.

Os investigadores não conseguiram identificar a idade do pente, mas acreditam que tenha sido produzido por volta de 1700 a.C.. Aquilo que resta do pente mostra que o objeto já teve, de um dos lados, seis dentes amplamente espaçados para remover emaranhados de cabelo e, do outro lado, 14 dentes para remover piolhos.

As análises ao microscópio permitiram ainda deslindar meio milímetro de piolhos, um tanto que ajudou os cientistas a perceber para que servia o pente. Os pentes antigos eram feitos de madeira, osso e marfim, sendo leste último considerado um material dispendioso, que unicamente pertencia aos mais ricos.

Segundo o Guardian, os primeiros sistemas de escrita do mundo tiveram origem na Mesopotâmia e no Egito, por volta de 3200 a.C., e baseavam-se em centenas de sinais diferentes para simbolizar palavras ou sílabas.

Já o alfabeto mais idoso foi inventado em 1800 a.C. por pessoas de língua semítica, que estavam familiarizadas com o sistema de escrita egípcia. Publicado uma vez que cananeu ou alfabeto primitivo, foi usado durante centenas de anos, particularmente no Levante, e padronizado pelos fenícios no Líbano idoso. Mais tarde, tornou-se a base do heleno idoso, do latim e da maioria das línguas modernas na Europa atual.

“O indumento de esta matrícula ser sobre a vida generalidade é principalmente fascinante”, disse Christopher Rollston, professor de línguas semíticas do noroeste da Universidade George Washington, nos Estados Unidos (EUA).

“Ao longo da história humana, os piolhos têm sido um problema perene. E esta matrícula revela muito muito que mesmo os ricos dos tempos antigos não estavam isentos de tais problemas. Esperamos que leste pente tenha sido útil para fazer o que ele diz que deveria fazer: erradicar alguns desses insetos irritantes”, concluiu.

  ZAP //

Deixe um comentário