Encontrada tartaruga do tamanho de um coche em Espanha

0
3712

ICRA_Arts

Noção artístico da tartaruga gigante Leviathanochelys aenigmatica

Cientistas encontraram em Cal Torrades, no nordeste de Espanha, o fóssil de uma tartaruga gigante que é uma das maiores alguma vez descobertas.

A pélvis encontrada sugere que a indivíduo teria murado de quatro metros de comprimento — sensivelmente o tamanho de um coche — e pesaria até duas toneladas.

O nome com que batizaram a espécie encontrada no nosso país vizinho é condizente com a sua dimensão: Leviathanochelys aenigmatica.

Para os leigos em latim, o nome faz referência à besta marinha bíblica Leviatã, que na veras era uma serpente marinha. A segunda segmento vem do heleno αἴνιγμα, que significa esfinge.

ZAP // ICRA_Arts

Tamanho da tartaruga gigante Leviathanochelys comparado com o de um viatura

De facto, o espécime encontrado é místico. A bacia e a carapaça têm algumas características peculiares, que chamaram a atenção dos investigadores para a possibilidade de ser uma espécie nunca antes vista.

A IFLScience escreve que os cientistas acreditam que esta tartaruga tenha vivido entre 83,6 e 72,1 milhões de anos detrás.

Foram ainda encontradas partes da gigante carapaça da tartaruga, mas foi a pélvis que mais espantou os cientistas. A sua estrutura óssea única pode sugerir uma anatomia respiratória inédita, dissemelhante de todas as outras tartarugas encontradas até hoje.

“Até ao momento, pensava-se que as maiores tartarugas marinhas que já navegaram nos oceanos”, escrevem os autores, “estavam restritas à América do Setentrião durante o último Cretáceo”.

A invenção do novo, gigantesco e bizarro Leviathanochelys aenigmatica revela novos detalhes sobre a flutuação de tartarugas marinhas e sobre “porquê o maravilha do gigantismo nesses grupos também estava a ocorrer na Europa”, além da América do Setentrião e da América do Sul.

A maior tartaruga encontrada até hoje é a Archelon (Archelon ischyrus), que tinha murado de 4,5 metros de comprimento e pesava entre 1,5 e 2 toneladas.

Os resultados deste novo estudo foram recentemente publicados na conceituada revista Scientific Reports.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe um comentário