Estas cinco espécies estiveram perto da extinção, mas escaparam

0
5001

Marine Explorer / Flickr

As alterações climáticas são uma prenúncio existencial para muitas espécies. Mas alguns animais são bastante resilientes e estes cinco exemplos conseguiram triunfar e evadir a um direcção de extinção certa.

Cegonha-de-madeira

Há algumas décadas, as cegonhas-de-madeira estavam em risco de vanescer. As águas interiores estavam a ser desviadas e a quantidade de peixe caiu a pique, pondo em risco a sobrevivência das cegonhas, relata a Discover.

Nos anos 70, quando os animais deixaram de encontrar peixe suficiente na região  de Everglades, na Flórida, as cegonhas começaram a fazer os ninhos mais a setentrião e a transmigrar para as Carolinas do Setentrião e do Sul. Um projecto em Everglades em 2000 também restaurou o curso originário de chuva e as cegonhas começaram a conseguir novamente caçar peixe, o que ajudou a que o bicho escapasse à extinção.

Baleia-jubarte

Na dez de 80, a população de baleias-jubarte tinha derrubado para exclusivamente 1200 em todo o mundo. Uma moratória na caça mercantil às baleias em 1985 foi decisiva para a sua recuperação. Apesar de ainda estarem sob bastante prenúncio devido aos ataques de barcos, os seus números dispararam para 135 milénio.

Tartaruga-verde

Depois de sofrerem durante anos ao ficarem presas nas redes de pesca e com a devastação dos seus habitats, os números de tartarugas-verde caíram bastante nos anos 90, até chegarem a um mínimo preocupante de 50 exemplares selvagens.

Depois da aprovação do Ato das Espécies em Risco, a espécie recuperou e já foram vistas 13 milénio tartarugas a produzir ninhos no Refúgio Vernáculo de Vida Selvagem de Archie Carr, na Flórida, que foi criado para proteger o bicho em 1989.

Urso-negro do Louisiana

A população do urso-negro do Louisiana recuperou nas últimas décadas com a restuaração do seu habitat que estava a ser progressivamente destruído. Enquanto uma espécie dependente da densidade, os ursos-negros exclusivamente toleram um evidente número de animais no seu território.

Quando oriente número é ultrapassado, acabam por se guerrear uns aos outros devido à competição por manjar e parceiros. Para além da restauração dos habitats, a grande adaptabilidade dos ursos, que aprenderam a sobreviver durante a estação húmida ao invernar e protegendo as crias nas árvores até a chuva dissipar.

Jacaré americano

Na dez de 50, o jacaré americano quase desapareceu devido à caça furtiva de que foi cândido para que a sua pele fosse usada na geração de sapatos e malas.

Em 1967, a espécie foi considerada em risco e as agências federais norte-americanos e grupos de conservação puserem em prática planos para a proteção do jacaré americano. Desde portanto, o bicho recuperou a um ritmo galopante e há quase cinco milhões de jacarés no sudeste dos Estados Unidos.

  ZAP //

Deixe um comentário