Estudo estabelece relação entre a fundura e os genes que herdamos

0
4499

CDC / USA GOV

Maior estudo de sempre confirma ligações entre o ADN e a fundura de uma pessoa. Pode ajudar na detecção de doenças.

É apresentado uma vez que o maior estudo de associação do genoma de sempre.

Na revista Nature foi publicada uma pesquisa que analisou o ADN de quase 5 milhões de pessoas. Levante foi o resultado da colaboração de 281 estudos.

O ponto médio deste estudo são as diferenças genéticas que são a chave para as diferenças de fundura.

Entre mais de um milhão de não-europeus participantes, verificou-se que mais de 12 milénio variantes que se agrupam em torno de áreas do genoma relacionadas com o desenvolvimento esquelético oferecem um possante predictor genético de fundura.

Ainda em relação aos não-europeus, essas variantes representam entre 10% e 20% da variação de fundura; a percentagem sobe para 40% entre os europeus.

Porquê reforça o portal SciTechDaily, é a informação codificada do nosso ADN que determina (na maioria) a nossa fundura.

Simples que não se aplica a 100% dos casos, mas a tendência é vermos pais altos a terem filhos altos e pais baixos a terem filhos baixos.

Levante estudo mostra detalhes a nível biológico, relacionando a hereditariedade com várias regiões de genoma específicas.

As regiões que compreendem pouco mais de 20% do genoma contêm a maioria das variantes de genes ligadas à fundura.

As conclusões desta estudo podem ajudar a antecipar a detecção de doenças, ou condições ocultas, em pessoas que não atingem a fundura geneticamente prevista.

Também será útil para utilizar estudos do genoma para identificar a biologia de uma doença e, posteriormente, os seus componentes hereditários.

  ZAP //

Deixe um comentário