Fazer treino não chega para recompensar uma má iguaria

0
381

StockSnap / Pixabay

Fazer treino extra não chega para a eliminação dos danos causados por uma má iguaria, de pacto com um novo estudo.

Já nos aconteceu a todos, passamos por uns dias onde comemos coisas pouco saudáveis, mas pensamos que não há problema porque depois passamos uma hora extra no ginásio. Mas um novo estudo publicado na British Journal of Sports Medicine revela que as coisas não são assim tão simples.

A pesquisa concluiu que níveis altos de treino não chegam para recompensar pelos efeitos de más escolhas alimentares a longo prazo, relata o New Atlas.

Depois de analisarem os dados de saúde de mais de 250 milénio pessoas, os autores concluíram que aqueles que fazem muito treino mas mantém uma dieta pobre têm melhores indicadores do que quem não faz qualquer treino, mas os benefícios do treino diminuem quando leste é conjugado com uma má iguaria.

“Algumas pessoas acham que podem anular o impacto de uma má dieta com níveis altos de treino ou anular os impactos da falta de atividade com uma boa deita, mas os dados mostram que infelizmente leste não é o caso. Tanto a atividade física regular porquê uma dieta saudável têm um papel importante na promoção da saúde e da longevidade”, revela Melody Ding, autora principal do estudo.

A investigação analisou a mortalidade de todas as causas e outras métricas mais específicas, porquê a mortalidade por doenças cardiovasculares ou por cancro. Em todas as métricas, quem fazia treino regularmente e tinha uma boa iguaria tinha um risco menor de mortalidade em verificação com os restantes grupos.

No entanto, a pesquisa tem limitações, já que os dados analisados sobre as características da dieta não eram detalhados. Uma dieta de subida qualidade foi geralmente definida porquê pelo menos cinco porções de fruta ou vegetais todos os dias, um consumo reduzido de mesocarpo vermelha e duas porções de peixe por semana.

Sem dados mais concretos sobre escolhas alimentares que no fazem mal, porquê fast food ou doces com muito açúcar, é difícil saber exatamente qual é o impacto do treino em conjugação com uma dieta má.

Ding sublinha que estas conclusões não significam que alguém que tenha uma má iguaria deve despovoar o treino ou que a atividade física é inútil, já que esta continua a ter óbvios benefícios.

“Independentes um do outro, tanto a dieta porquê a atividade física são críticos para a saúde e a longevidade. Uma pessoa não deve pensar que se não puder ter uma dieta saudável que deve despovoar a atividade física ou vice-versa. No entanto, se for provável, tente fazer ambas as coisas“, apela.

  ZAP //

Deixe um comentário