Fogões a gás libertam benzeno cancerígeno porquê fumo passivo

0
6052

KWON JUNHO / Unsplash

Os investigadores encontraram níveis de benzeno comparáveis aos do fumo passivo a vazar dos fogões na Califórnia.

Os fogões a gás proveniente emitem, normalmente, químicos tóxicos para as casas, mesmo quando não estão a ser utilizados.

Um estudo publicado a 20 de outubro na revista Environmental Science & Technology esclarece que, quando os investigadores recolheram amostras de fogões a gás na Califórnia, quase todos estavam a espargir níveis nocivos de benzeno, que é divulgado por fomentar cancro.

A quantidade emitida por alguns fogões era até sete vezes superior ao limite de exposição segura recomendado pela Califórnia.

Investigadores, em colaboração com o instituto de investigação sem fins lucrativos PSE Healthy Energy recolheram amostras de 159 fogões a gás residenciais em 16 condados da Califórnia, segundo o portal Gizmodo.

Recolheram amostras de fogões alimentados por três grandes empresas de gás do estado: San Diego Gas and Electric, Pacific Gas and Electric, e Southern California Gas Company. Encontraram benzeno em 99% das amostras.

O nível de poluição dos fogões variava de exemplar para exemplar e de condado para condado, mas Los Angeles tinha o nível mais proeminente de poluentes internos.

As casas do setentrião de San Fernando e Santa Clarita Valley tinham níveis de benzeno 30 vezes mais elevados do que a média da Califórnia.

“Embora estas fugas sejam normalmente muito pequenas para rescender, ainda podem ter impacto na qualidade do ar e aumentar os riscos para a saúde humana nas nossas casas”, alerta Eric Lebel, responsável principal do estudo e investigador da PSE Healthy Energy, em enviado.

“Descobrimos que só ter um fogão a gás pode fabricar concentrações de benzeno na cozinha comparáveis às do fumo passivo”, explicou Lebel.

Os investigadores estimaram que os fogões na Califórnia estavam a vazar anualmente a mesma quantidade de benzeno que 60.000 automóveis a gasolina, de pacto com o estudo. Mas estas emissões “não estão atualmente incluídas em nenhum inventário de contextura estatal”, lê-se no enviado.

“As fugas de gás proveniente são uma nascente de poluentes atmosféricos perigosos que têm sido largamente ignoradas”, indica Drew Michanowicz, também investigador da PSE Healthy Energy.

“Políticas que eliminam progressivamente os aparelhos a gás não são exclusivamente boas para o nosso clima. O nosso estudo mostra que estas políticas também proporcionam importantes benefícios para a saúde pública ao melhorar a qualidade do ar interno e exterior”, acrescenta o profissional.

Levante estudo surgiu um mês depois de o Parecer de Recursos Atmosféricos da Califórnia ter votado a eliminação progressiva da venda de fogões a gás proveniente e aquecedores de chuva até 2030.

O Estado votou também a proibição da venda de veículos a gás até 2035, para reduzir as emissões, porquê secção de uma estratégia mais abrangente para enfrentar as alterações climáticas e reduzir a poluição atmosférica.

Outras investigações encontraram questões semelhantes em fogões a gás.  “Os fogões a gás são a coisa mais assustadora da cozinha“, lê-se num estudo realizado no início deste ano que descobriu que os fogões a gás, mesmo quando desligados, libertam o metano de gás com efeito de estufa para as casas.

  Alice Carqueja, ZAP //

Deixe um comentário