Fuga de hélio do núcleo da Terreno tem pistas sobre a formação do planeta

0
3238

Envato Elements

O núcleo no meio da Terreno

O hélio-3, um isótopo vasqueiro de hélio, está a transpor do núcleo da Terreno. Uma vez que quase todo o hélio-3 vem do Big Bang, a fuga de gás prova que a Terreno se formou dentro de uma nebulosa solar, o tem vindo a ser discutido há muito.

O hélio-3 tem sido medido à superfície da Terreno em quantidades relativamente pequenas. Mas os cientistas não sabiam quanto do gás estava a vazar do núcleo da Terreno, em oposição às suas camadas médias, chamadas véu.

Um novo estudo, publicado esta segunda feira na Advancing Earth and Space Science, aponta o núcleo porquê uma das principais fontes de hélio-3 na Terreno.

Alguns processos naturais podem gerar hélio-3, tais porquê o decaimento radioativo do trítio, mas o hélio-3 é feito principalmente em nebulosas nuvens de gás e poeira porquê a que deu origem ao nosso Sistema Solar.

Uma vez que o hélio é um dos primeiros elementos produzidos no universo, a maior troço do hélio-3 pode ser rastreada até ao Big Bang.

À medida que um planeta cresce, acumula material, de modo que a sua constituição reflita o envolvente em que se formou.

Para obter concentrações elevadas de hélio-3 no núcleo, a Terreno teria de se formar dentro de uma nebulosa solar próspera, não durante a sua temporada de declínio.

Segundo a Phys Org, a novidade investigação acrescenta mais pistas ao mistério que envolve a formação da Terreno, dando mais provas à teoria de que o nosso planeta se formou dentro da nebulosa solar.

Tapume de 2.000 gramas de hélio-3 vazam para fora da Terreno todos os anos, “o suficiente para encher um balão do tamanho de uma secretária“, disse o responsável principal do estudo, Peter Olson, geofísico da Universidade do Novo México.

“É uma maravilha da natureza, e uma pista para a história da Terreno, que ainda haja uma quantidade significativa deste isótopo no interno da Terreno”, acrescenta.

A equipa investigou o hélio durante duas fases chave da história da Terreno: a formação inicial, quando o planeta estava a apinhar o isótopo, e a seguir à formação da Lua, posteriormente a qual o hélio se perdeu.

As evidências sugerem que um objeto com um terço do tamanho da Terreno atingiu o planeta no início da sua história, há muro de 4 milénio milhões de anos, e que esse impacto teria refundido a crosta terrestre, permitindo a fuga de grande troço do hélio. O gás continua a evadir até aos dias de hoje.

Utilizando a taxa de fuga de hélio-3 moderna, juntamente com modelos de comportamento de isótopos de hélio, os investigadores estimaram que existem entre 1013 gramas a 1015 gramas de hélio-3 no núcleo.

É uma grande quantidade, que Olson afirma indicar para a formação da Terreno dentro da nebulosa solar, onde concentrações elevadas do gás teriam permitido a sua aglomeração nas profundezas do planeta.

O trabalho horizonte de procura de outros gases criados pela nebulosa, porquê hidrogénio, com fugas em taxas e locais semelhantes ao hélio-3, poderia ser uma “arma fumegante” para o núcleo, disse Olson. “Há muito mais mistérios do que certezas“.

  Alice Carqueja, ZAP //

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.