Governo do Rio estuda novidade flexibilização da obrigatoriedade

0
5116

A norma de flexibilização do uso de máscaras está sendo novamente avaliada pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES). Desde 2020, a legislação estabelece a obrigatoriedade da proteção facial em locais fechados no estado.

Em nota enviada à prensa, a SES não detalhou se estuda derrubar a obrigatoriedade das máscaras ou se optará por uma revisão parcial do protocolo, com a liberação das máscaras em determinados locais fechados, por exemplo.

Por outro lado, no texto a SES também pontuou que, neste momento, é prematuro falar que a pandemia atingiu o estágio de endemia no estado do Rio de Janeiro. 

A classificação de endemia é utilizada para uma doença de justificação e atuação lugar, ou seja, se manifesta com frequência em determinada região, mas tem um número de casos esperado – um padrão relativamente firme que prevalece. Se houver subida incidência e persistência de doença, pode ainda ser chamada de hiperendêmica.

Leia mais: Mortes por covid-19 indicam que pandemia no Brasil ainda está longe do término

 “A dinâmica do vírus, com as possibilidades do surgimento de novas variantes, e a escassez de um histórico da doença não permitem a SVAPS (Subsecretaria de Vigilância e Atenção Primária à Saúde) fazer esse tipo de certeza”, escreveu a SES.

Segundo o Pintura de Monitoramento Covid-19 do governo do Estado, entre as semanas epidemiológicas 2, entre 9 a 15 de janeiro, e 5, entre 30 de janeiro a 2 de fevereiro, houve uma queda de 92% no número de casos confirmados no estado. Foram 185.212 ocorrências na semana 2, contra 15.098 na semana 5.

As mortes causadas pela versão ômicron, no entanto, atingiram o auge na semana 4, entre 23 a 29 de janeiro, foram 566 registros. A explicação é que a escrutínio semanal de óbitos morosidade mais a flagrar mudanças de tendência no cenário epidemiológico por conta do tempo procedente que a doença leva para ser diagnosticada e se desenvolver. Também devido ao detença no preenchimento solene das notificações.

A mais recente atualização do vegetal de risco do governo estadual, divulgada na última semana, apresentou todo o estado em bandeira amarela, que quer expor nível subalterno de transmissão da doença. Somente as regiões Núcleo-Sul e Serrana se mantêm em patamar moderado, e a Noroeste, ainda com risco cume. 

Manadeira: BdF Rio de Janeiro

Edição: Mariana Pitasse

Manadeira: Brasil de Roupa

Deixe um comentário