Há um novo culpado na poluição do ar: a pele humana

0
1535

Karolina Grabowska / Pexels

As reações da nossa pele com o ozono podem gerar químicos tóxicos no ar em espaços fechados, prejudiciais para o envolvente e para a saúde.

A poluição do ar é a maior ameaço à saúde ambiental do mundo, de concordância com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mas a maioria das pessoas provavelmente não pensa nos seus próprios corpos porquê troço do problema

Um novo estudo mostrou que o óleo da pele humana reage com o ozono para gerar radicais livres que podem reagir ainda mais com a maioria dos compostos orgânicos presentes nos interiores para, por sua vez, produzir poluentes perigosos. Os radicais livres são átomos ou moléculas que são muito instáveis e têm cumeeira poder reativo.

Segundo a revista The Scientist, isto ajuda a explicar porquê é que o corpo humano influencia diretamente a química dos ambientes fechados. Também pode ajudar na investigação sobre os efeitos adversos para a saúde da respiração de compostos tóxicos que são parcialmente produzidos por nós.

“As pessoas estão cientes da poluição exterior, mas quando entramos em moradia, pensamos: ‘Ah, agora estamos seguros’. E não é realmente verdade”, diz o coautor do estudo Jonathan Williams. “É uma invenção surpreendente que o ozono reage na nossa pele e liberta mais substâncias químicas na atmosfera à nossa volta”.

Os resultados do estudo são inéditos e foram publicados, leste mês, na conceituada revista Science.

Na experiência desenvolvida pelos cientistas, três grupos diferentes de quatro participantes sentaram-se numa câmara de aço inoxidável climatizada do tamanho de um pequeno quarto, em dias separados, durante até cinco horas.

Depois, mediu-se a concentração de compostos orgânicos e radicais hidroxila no ar dentro da câmara, assim porquê a elaboração química da respiração dos participantes.

Mikal Schlosser / TU Denmark

Em seguida as medições, repetiu-se a experiência, mas desta vez introduzindo 35 partes por milénio milhão de ozono dentro da sala — semelhante ao nível de exposição ao ozono que alguém fica num avião.

Os autores descobriram que o esqualeno do óleo da pele reage com o ozono, produzindo compostos que depois reagem com novamente com o ozono para produzir oxidantes poderosos chamados radicais hidroxila.

Estes podem reagir com outras moléculas encontradas em ambientes fechados, porquê produtos de limpeza domésticos e até mesmo uma repasto acabada de cozinhar, exemplifica Williams. O resultado são compostos tóxicos.

Há muitos fatores porquê temperatura, humidade e tempo da exposição da pele que podem influenciar a geração desses radicais.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe um comentário