Há uma dieta certa para uma vida longa

0
2097

Envato Elements

Ter uma vida mais longa pode depender de vários fatores — um dos quais é a genética. Estar talhado a um porvir longo e saudável que se prolongue por décadas. Acontece que o tramontana não é um pouco ininterrupto.

A dieta que se uma vez que e da forma que se come pode estabelecer uma longa vida saudável.

Valter Longo, gerontologista da Universidade do Sul da California, nos EUA, está convicto de que existe uma fórmula ideal para o jejum e a dieta que poderia levar o ser humano a maximizar a vida.

Para deslindar essa fórmula ideal, explica a Science Alert, Longo e a investigadora Rozalyn Anderson, da Universidade do Wisconsin, analisaram estudos sobre longevidade e nutrição numa variedade de seres vivos, e a sua relação com os seres humanos.

O estudo foi publicado na Cell, em Abril deste ano.

“Explorámos a relação entre nutrientes, jejum, genes e longevidade em espécies de vida curta, e relacionámos estas ligações com estudos clínicos e epidemiológicos em primatas e humanos”, diz Longo.

Um único método prescrito de alimento não é suscetível de alguma vez se tornar uma abordagem de um padrão universal.

Variações nos hábitos alimentares introduzem uma variedade de prós e contras para a saúde de outras espécies, de simples micróbios a vermes e mamíferos uma vez que o Varão.

As diferenças entre genes e fases de desenvolvimento determinam os riscos e benefícios de diferentes produtos alimentares.

As pessoas com mais de 65 anos, por exemplo, podem precisar de aditar um pouco mais de proteínas na sua dieta, exclusivamente para prometer que os seus corpos têm  ingredientes para aumentar a volume corporal e protegerem-se contra a sua crescente fragilidade.

Embora seja necessária mais investigação para estabelecer os detalhes, os tipos de víveres em que podemos querer concentrar-nos nas nossas listas de compras já são bastante claros.

De congraçamento com Longo, a receita certa para uma vida longa é uma boa quantidade de hidratos de carbono não refinados, e proteínas e gorduras de origem vegetal suficientes para satisfazer muro de um terço das suas necessidades energéticas.

“Muitas leguminosas, grãos inteiros e vegetais; alguns peixes; nenhuma mesocarpo vermelha ou mesocarpo processada e pouca mesocarpo branca; plebeu texto de açúcar e grãos refinados; bons níveis de nozes e óleo, e qualquer chocolate preto”, diz Longo.

Mas, além do que coloca no prato, quem quiser gozar de muitos anos de vida também tem de planear quando deve manducar.

As refeições devem ocorrer num período de doze horas, enquanto o ciclo de cinco dias de jejum, de três em três meses, também ajudará a manter a tensão arterial sob controlo e os riscos de resistência à insulina serão baixos.

Assim, escolher a comida certa, e quando a come, pode ajudar a ter uma vida mais longa.

  Inês Costa Macedo, ZAP //

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.