Incêndio atinge suplente estadual no Rio Grande do Sul, na

0
5066

Um incêndio de grandes proporções atinge, desde a noite de terça-feira (22), a Suplente Estadual do Parque do Espinilho, em Barra do Quaraí. O município gaúcho, que faz fronteira com a Argentina e o Uruguai, sofre com os efeitos da seca que atinge a região, o que ajuda a espalhar as chamas com maior velocidade. Do outro lado do rio Uruguai, a província argentina de Corrientes também registra uma serie de incêndios florestais, com as fumaças alcançando o Brasil.

Leia também: “Agro é incêndio”: incêndios no Brasil estão ligados ao agronegócio e ao progresso da lazeira, diz dossiê

A prefeitura de Barra do Quaraí informa que vem trabalhando junto as secretarias municipais, Meio Envolvente, Obras, Gabinete do Prefeito e Resguardo Social, buscando ajuda para rematar com o incêndio, que está se alastrando de um lado do parque, separado pela BR 472. A Corporação de Bombeiros do município controlou um incêndio nas proximidades da Estancia São Pedro e depois deslocou-se imediatamente até o parque.

O prefeito de Barra do Quaraí, Maher Jaber (PDT), está em contato com o tenente Ivaldo Jorge, comandante do Pelotão do Corpo de Bombeiro Militar em Uruguaiana. Segundo ele, estão atuando no combate às chamas quatro militares de Uruguaiana e há possibilidade de envio de reforços.

O Gabinete do Prefeito também acionou os Bombeiros do Uruguai, mas em virtude da falta de equipamento para oriente tipo de ocorrência, o auxílio foi cancelado. O município também contratou uma empresa de aviação agrícola para facilitar no combate ao incêndio.

:: MST faz atos cobrando lei de base à cultivação familiar depois secas e enchentes; veja as fotos ::

O vereador Jocemar Medeiros (Republicanos) está uma vez que voluntário no combate aos incêndio e relata as dificuldades encontradas: “O esforço é sobrenatural, os bombeiros da Barra do Quaraí estão fazendo o provável, até alguns que estavam de férias se somaram a isso, mas infelizmente por força maior, não estamos conseguindo combater oriente incêndio, e também em questão de segurança, temos que tomar todo o desvelo pelas nossas vidas.”

Cinzas dos incêndios na Argentina chegam ao Brasil


Murado de 800 milénio hectares da província de Corrientes foram arrasados pelo incêndio / Foto: Elena Bofetta / AFP

A província argentina de Corrientes registra incêndios florestais há mais de 50 dias. Murado de 800 milénio hectares, 10% da província, foram arrasados pelo incêndio, que tem causado severos danos ao meio envolvente, segundo dados do Instituto Vernáculo de Tecnologia Agropecuária (INTA) da Argentina.

Milhares de animais, muitos em risco de extinção, foram atingidos na localidade que abriga a suplente originário Esteros del Iberá, considerado o “pantanal da Argentina”. Com temperaturas superando 35 graus na região e falta de chuva, a particularidade porosa do solo dos Esteros faz com que a incêndio se propague sob a vegetação, o que dificulta o controle.

:: Seca no RS: pequenos agricultores temem “faltar chuva para tomar” se zero for feito ::

Nesta semana, a fumaça das queimadas na Argentina tomou conta da cidade gaúcha de São Borja. Moradores relataram chuva de sujeira por todo o município. Bombeiros brasileiros ajudaram no combate aos incêndios, revelou nas redes sociais o mensageiro da Argentina no Brasil, Daniel Scioli.

“Bombeiros do estado do Rio Grande do Sul e do município de São Borja cruzam a fronteira para se juntar ao combate ao incêndio no município de Santo Tomé a pedido do prefeito José Augusto Suaid Cortes”, disse.

Manadeira: BdF Rio Grande do Sul

Edição: Marcelo Ferreira

Manadeira: Brasil de Indumentária

Deixe um comentário