Incrível retrato de Júpiter, feita de 600 milénio imagens, é das mais nítidas de sempre

0
5310

Andrew McCarthy

Uma das fotografias mais nítidas de Júpiter foi feita a partir de uma “colagem” de 600 milénio imagens diferentes.

Júpiter e Terreno vão estar mais próximos, não do que nunca, mas será a maior aproximação desde 1963. Ao longo dos últimos 59 anos, indica a NASA, nunca houve um momento em que o nosso planeta estivesse tão próximo do maior planeta do Sistema Solar.

Esta aproximação inédita nas últimas décadas vai percurso ao longo desta noite de segunda-feira – já madrugada de terça-feira, dia 27, em Portugal.

Ainda antes disso suceder, o astrofotógrafo Andrew McCarthy revelou uma incrível retrato de Júpiter, do dia 17 de setembro, depois de conquistar a sua melhor vista do gigante planeta. O que se vê não é exclusivamente uma foto, mas sim uma combinação de centenas de milhares de imagens: mais precisamente, 600 milénio.

“Depois de passar a noite toda a tirar murado de 600 milénio fotos, estou emocionado por mostrar-vos a minha retrato mais nítida de Júpiter até agora”, escreveu McCarthy no Twitter.

Para conseguir captar Júpiter com esta transparência, o fotógrafo norte-americano usou um telescópio de 11 polegadas e uma câmara de subida solução.

Segundo o site Space, McCarthy usou software para empilhar várias imagens tiradas durante uma sessão de fotografias do firmamento noturno. O astrofotógrafo usou uma técnica semelhante para tirar uma imagem “ridiculamente detalhada” da lua, que demorou meses.

McCarthy explicou que, embora 600 milénio fotografias pareça uma infinidade, ele estava a captá-las a um ritmo de murado de 80 por segundo — levando murado de duas horas para tirá-las. “Passou relativamente rápido”, sublinhou.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe um comentário