Investigadores encontram novidade espécie gigante nas profundezas do oceano

0
334

Novas filmagens mostram uma tipo marinha gigante de aspeto peculiar com tentáculos a flutuar vagarosamente nas profundezas do Oceano Pacífico — deixando os investigadores a questionar se o que estão a ver é uma novidade espécie.

Segundo a Live Science, uma equipa de cientistas avistou o estranho bicho a bordo do E/V Nautilus, um navio de investigação utilizado pelo Ocean Exploration Trust — organização sem fins lucrativos que realiza investigações em saliente mar.

Com tentáculos de 40 centímetros de comprimento a partir de um talo de quase 2 metros de comprimento, e um único pólipo de sustento com tentáculos farpados e um pólipo uma vez que pétalas espinhosas, a tipo assemelhava-se a uma flor muito estranha, de natação livre, aproximadamente do tamanho do ROV — veículo subaquático controlado remotamente, no qual seguiam a bordo os biólogos.

Foi avistada a 7 de Julho a 2.994 metros subordinado da superfície, perto de um monte pelágico anteriormente inexplorado a setentrião de Johnston Atoll, um território não incorporado dos EUA e Refúgio Vernáculo de Vida Selvagem no Oceano Pacífico a oeste do Havai.

Os investigadores suspeitaram inicialmente que se tinham cruzado com uma Solumbellula monocephalus, também conhecida uma vez que pluma do mar, que faz segmento do filo Cnidaria — que inclui medusas, hidras e corais.

No entanto, os únicos avistamentos conhecidos de plumas do mar anteriores a esta situação ocorreram nos oceanos Atlântico e Índico, pelo que é provável que os cientistas tenham tropeçado numa novidade espécie.

Steve Auscavitch, o principal investigador da expedição e biólogo e pós-doutorando  da Universidade de Boston, descreveu o avistamento uma vez que “fascinante”.

“De tempos a tempos, deparamo-nos com um tanto que nunca esperávamos ver, e essas são muitas vezes as observações mais poderosas”, explicou à Live Science.

“Estávamos perto do termo do nosso cruzeiro e estávamos no fundo do fundo do mar quando observámos os dois. A que capturámos em vídeo era enorme, possivelmente do mesmo tamanho ou maior que a de Hércules, o nosso ROV. Quando vi esta fantástica tipo marinha em vídeo, soube exatamente o que poderia ser”.

Mas para ter a certeza, Auscavitch procurou o contributo de biólogos em terreno, que ajudaram a confirmar as suas suspeitas de que se tratava de uma pluma do mar, da família dos corais.

Com base no tamanho impressionante do bicho, Auscavitch supôs que era bastante velho, mas não consegue prezar a sua idade específica. “Antes disto, a Solumbellula monocephalus nunca tinha sido vista no Pacífico mediano e nunca tinha sido recolhida”, acrescentou.

Curiosamente, a invenção da sua equipa acontece vários meses depois de cientistas em Espanha terem identificado dois novos géneros de plumas marinhas: Pseudumbellula e Solumbellula — a último dos quais incluiria as novas espécies.

“Descobertas uma vez que esta são raras, e nunca esperávamos ver um tanto assim. A segmento mais excitante desta investigação é que nos deparamos com estas coisas de tempos a tempos, e isso realmente expande o nosso horizonte sobre onde os animais podem viver e subsistir no mar profundo”.

As descobertas foram publicadas em Fevereiro na revista Invertebrate Systematics.

  Inês Costa Macedo, ZAP //

Leave a reply