investigadores portugueses testaram inovação promissora

0
5162

Cortesia / Universidade de Coimbra

Equipa da Imuno-PET

Sete investigadores da Universidade de Coimbra testaram a Imuno-PET, que pode ajudar a prever a resposta aos tratamentos de imunoterapia.

A Imuno-PET é uma técnica inovadora que pode ajudar a prever a resposta aos tratamentos de imunoterapia – terapia utilizada em doentes com cancro do pulmão.

Esta técnica já foi testada por equipa de investigadores da Universidade de Coimbra.

Nunca tinha sido testada em Portugal e agora está a ser utilizada em pessoas com cancro do pulmão, de Coimbra e Leiria.

A técnica avalia o corpo inteiro do doente, sinaliza as zonas que estão afectadas pelo cancro e prevê a resposta da pessoa à imunoterapia.

Os doentes fazem todos os exames habituais e recebem o comitiva habitual. A Imuno-PET é uma técnica de diagnóstico extra; não substitui os testes já realizados por rotina.

A inovação mostra “uma informação de corpo inteiro, uma vez que toda a doença se comporta, além da biópsia e da habitual PET”, explicou Sónia Silva, aluna de doutoramento na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra e médica pneumologista em Leiria.

Caso avance, esta inovação poderá assim identificar a terapia potencialmente mais adequada para cada doente.

Aliás, deverá “impedir que se possa perder tempo, ou até mesmo o doente, com terapêuticas que não resultarão em resposta e controlo da doença”, acrescentou Sónia.

E ainda poderá contribuir para a sequenciação terapia, dando orientação relativamente à duração ideal do tratamento.

O cancro do pulmão é a principal pretexto de morte por cancro em Portugal. Muitos doentes, quando são diagnosticados, já têm tumores em estado avançado – os estados precoces (e operáveis) muitas vezes não apresentam sintomas.

  ZAP //

Deixe um comentário