Não é um dragão nem um alien. Oriente monstro é real e vive nas florestas de Portugal

0
6359

Eugenijus Kavaliauskas / Nikon Small World

Retrato macro de um réplica de Camponotus cruentatus, a formiga-carpinteira

Não, esta retrato não é tirada de um filme de terror. Também não é um concepção artístico gerado em computador de um qualquer orc tolkeniano, dragão ou monstro extra-terrestre. É uma foto macro de uma pequena pessoa que vive nas florestas portuguesas.

Os vencedores da edição 2022 do concurso de retrato Nikon Small World foram recentemente anunciados. E apesar de não ter vencido, uma das fotografias a concurso é simplesmente assombrosa.

A imagem em pretexto, que retrata o “monstro” que mostramos supra, é uma retrato ampliada de um réplica de Camponotus cruentatus, ou formiga carpinteira.

Foi captada pelo fotógrafo lituano Eugenijus Kavaliauskas, que em boa hora decidiu deixar de fotografar aves de rapina e especializar-se em captar imagens do mundo microscópico das pequenas criaturas que nos rodeiam.

O tremendo close-up da formiga carpinteira captado por Kavaliauskas é uma das contempladas com a menção honrosa de “Image of Distinction” do concurso, que premeia anualmente as melhores fotomicrografias da Natureza.

A fotomicrografia, técnica fotográfica de obtenção de imagens ampliadas com lentes ópticas poderosas, permite observar detalhes de estruturas não visíveis à vista desarmada, uma vez que células e micróbios — e deu-nos esta incrível e fantasmagórica imagem de uma minúscula pessoa inofensiva.

Na natureza não há monstros“, disse Kavaliauskas em declarações (com que nem todos concordam) ao Insider. “Quando comecei a fazer microfotografia achava que os escaravelhos eram pequenos monstros. Agora, fico somente surpreendido com a formosura de tantos pequenos milagres desconhecidos que temos aos nossos pés”.

E portanto oriente monstro fantástico, onde o encontramos?

As formigas carpinteiras habitam sobretudo em áreas florestais, em colónias formadas essencialmente por obreiras estéreis que tomam conta das larvas da sua rainha e da limpeza da colónia. As maiores são também alistadas no tropa da colónia.

Didier Descouens / Wikipedia

Camponotus cruentatus, ou formiga carpinteira

A espécie, considerada bastante agressiva pela associação FAPAS, é endémica da Península Ibérica e uma das maiores espécies do seu grupo em Portugal. As rainhas e alguns soldados podem chegar aos 2 cm e viver até 10 anos.

As formigas carpinteiras alimentam-se da suco açucarada e nutritiva extraida das vegetalidade pelos pulgões — de quem tomam conta, para os “ordenhar”, oferecendo-lhes em troca proteção contra os seus predadores.

Estas formigas não são assim somente carpinteiras… são também pastoras.

  ZAP //

Deixe um comentário