NASA vs Dimorphos: uma nave suicida-se hoje para um dia nos salvar de um asteróide

0
5591

A missão DART da NASA, ou “Teste de Direção do Duplo Asteroide”, está prestes a chegar ao seu direcção final. Esta segunda-feira, a sucursal espacial norte-americana vai provocar a colisão de uma nave espacial contra um asteroide.

Dimorphos é um pedaço de rocha espacial tão longínquo da Terreno que nem se sabe porquê é. E esta segunda-feira vai (se tudo passar muito) ser esmagado pela NASA.

O DART estará a viajar a mais de 22500 km por hora quando atingir o asteroide, naquilo que tem é uma das experiências cientificas mais complexas de todos os tempos.

A missão DART é uma experiência da NASA para testar se é verosímil modificar o movimento de um asteroide no espaço.

Está a ser considerado porquê a primeira “missão de teste de resguardo planetária” do mundo, e irá verificar se é verosímil evitar o impacto de um asteroide na Terreno,  no horizonte, provocando a colisão de uma nave com o asteroide.

Segundo o The Verge, nem o Dimorphos, nem o seu maior companheiro Didymos, representam qualquer ameaço para a Terreno. Na verdade, não identificámos nenhum asteroide que represente uma ameaço imediata para o nosso planeta.

Dimorphos e Didymos são um sistema binário de asteroides, sendo Dimorphos uma “lua” de Didymos. A pequena lua orbita o asteroide maior, e vai passar entre o asteroide maior e a Terreno.

Isto significa que os telescópios, tanto dentro porquê fora do mundo, podem monitorizar o sistema e ver relativamente depressa o que uma queda faz à velocidade e trajetória de Dimorphos.

Logo depois o impacto, os telescópios em todos os continentes do planeta irão concentrar-se no sistema para ver as consequências.

No espaço sideral, os telescópios espaciais James Webb e Hubble, e mesmo a nave espacial Lucy também irão focar o olhar sobre o sistema de asteroides, para ver o que acontece quando uma rocha se encontra uma nave espacial mais resistente.

A NASA irá vedar a colisão do DART a partir das 18 horas. A colisão está marcada  para as 19:14. As pessoas vão poder ver à cobertura ao vivo no site da NASA ou no via de Youtube, ou segui-la no Facebook e no Twitter.

  Inês Costa Macedo, ZAP //

Deixe um comentário