Piscina sagrada invenção na Sicília. Refletia a luz das estrelas

0
3743

(dr) Sapienza University of Rome Expedition to Motya

Um lago sintético com 2.500 anos, na ilhota italiana da Mócia, na Sicília, pode ter sido em tempos uma piscina sagrada alinhada com o fundamento para refletir a luz das estrelas de constelações importantes.

Um novo estudo sugere que, no seu auge, esta piscina sagrada terá sido a peça medial de um santuário com templos e altares que honravam várias divindades.

“Era uma piscina sagrada no meio de um enorme múltiplo religioso” e não um porto construído para fins militares e comerciais, porquê se pensava até agora, disse Lorenzo Nigro, professor na Universidade Sapienza de Roma, citado pelo Live Science.

Para esta desfecho, houve duas pistas decisivas: uma “parede sólida que vedava a piscina na direção do mar” e “a invenção de que tinha chuva gula” proveniente de um aquífero subterrâneo. “Era um reservatório de chuva pura para o templo e as velas que atravessavam o Mediterrâneo”, resumiu Nigro.

O trabalho arqueológico decorreu entre 2002 e 2020 e permitiu concluir que a piscina, que se estende por uma extensão de 52,5 por 37 metros, refletia as estrelas de constelações importantes.

No santuário, havia um espaço a marcar a posição de Capella (Alpha Aurigae), a sexta estrela mais lustroso do fundamento noturno quando se eleva para setentrião durante o equinócio do outono.

No mesmo recinto, mas mais a sul, havia uma marca a simbolizar Sirius (Alpha Canis Major), a estrela mais lustroso do fundamento noturno quando se eleva para o sul durante o equinócio do outono.

O meio da piscina tinha um pedestal com uma estátua do Deus fenício Ba’al, uma extensão que, segundo o responsável do estudo, estava alinhada com a subida de Órion no solstício de inverno.

Os arqueólogos também encontraram o ponteiro de bronze de um astrolábio, um idoso instrumento de navegação, durante a escavação do Templo de Ba’al, e uma estátua de um babuíno com cabeça de cão, uma personificação do deus egípcio Toth, associado à Astronomia.

A piscina foi construída por volta do ano 550 a.C., fundura em que a região de Mócia foi reconstruida depois um ataque de Cartago, antiga rival de Roma.

O item científico foi recentemente publicado na Antiquity.

  ZAP //

Deixe um comentário