pode ser útil para gerar o seu sege eléctrico

0
3004

Tyler Lastovich / Pexels

Porque o lítio pode ser problema, a Audi já começou a reunir telemóveis e computadores antigos, para serem transformados em baterias de carros eléctricos.

Os carros eléctricos continuam a gerar debates frequentes, em muitos países.

Há quem defenda que são o porvir dos transportes, tendo em vista a sustentabilidade do planeta.

Há quem defenda são uma ruinoso para o planeta e também para o seu proprietário.

Quem deixa alertas sobre oriente tipo de veículos centra-se normalmente na questão do lítio.

As baterias de lítio são exagerado caras e as questões de reciclagem relacionadas com essas baterias são pouco sustentáveis.

Defendem que, se uma bateria de lítio desarranjo, muito provavelmente o seu orientação é o lixo. E, a oriente ritmo de produção, já nem haverá lítio suficiente em 2040.

A procura por lítio deve crescer mais de 500% na dezena 2030 e, por isso, já se começa a procurar alternativas para produzir baterias para carros eléctricos.

É que a Audi está a fazer. As concessionárias da empresa alemã começaram a reunir telemóveis antigos e computadores antigos, para que possam ser reciclados, transformados em baterias de carros elétricos.

O portal Axios explica que, a longo prazo, as empresas do ramo carro querem gerar um suprimento de giro fechado de materiais críticos para baterias que possam ser reutilizados em novas baterias, reduzindo a urgência de importações e evitando mais danos ambientais causados ​​pela mineração.

Nascente será o primeiro caso em que uma empresa da indústria recupera baterias domésticas de íon-lítio e dispositivos recarregáveis, ​​que podem ser reciclados domesticamente para gerar novas baterias de carros eléctricos.

Essas baterias, acrescenta o portal, têm metais porquê cobalto, cobre, níquel e lítio; todos podem ser reciclados quase infinitamente, enfim.

Assim, e porque esses metais dificilmente se degradam com o passar do tempo, uma bateria de um “velho colega” nosso lá de lar, porquê um telemóvel de outros tempos, poderá funcionar porquê bateria – ou secção dela – do nosso porvir sege eléctrico.

No entanto, voltam as questões da reciclagem: agora só são recicladas menos de 5% dessas baterias recarregáveis (telemóveis, computadores, bicicletas e escovas de dentes eléctricas…). É um processo multíplice de reciclagem.

A teoria da Audi, em parceria com a Redwood (empresa de software) é facilitar esse processo de reciclagem, encolher a urgência de mineração, aumentar a fabricação doméstica e, objectivo final, tornar os carros eléctricos mais baratos e mais sustentáveis.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Seja um visitante de carteirinha, assine nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos

Deixe um comentário