Portugal na final da Eurovisão. Meia-final fraca e italianos ignoraram cantoras lusas

0
1939

Alessandro Di Marco/EPA

Maro na meia-final da Eurovisão

Turim teve recta a problemas técnicos, bananas e Metallica. Crónica da primeira meia-final do Festival Eurovisão da Melodia.

Portugal vai estar novamente na final do Festival Eurovisão da Melodia, tal porquê no ano pretérito. A primeira meia-final do evento, realizada nesta terça-feira, não vai entrar no currículo. Ou vai, por maus motivos.

Foi ao “som da formosura” de Turim que a meia-final começou, embora a introdução se tivesse transformado rapidamente em “som do rock” – é que o grupo vencedor no ano pretérito foi Måneskin.

Agora, as actuações.

A ginástica da Albânia inaugurou o menu, que teve recta a toques traseiros pouco Sekret. O estilo mudou a seguir, para uma salada temperada com hip-hop proveniente da Letónia (Eat your salad).

Logo à terceira música, problemas técnicos. Zero de novo em Turim. A meio de uma Lituânia Sentimental, os sentimentos foram abafados porque, de repente, o volume foi reduzido para menos de metade.

Um défice que se repetiu durante a melodia suíça, logo a seguir. Mas nestes dois casos, Lituânia e Suíça, no palco estava (imagine-se só) uma pessoa a trovar, sozinha. E chegou. Boys do cry foi o lema suíço.

A Disko da Eslovénia teve recta a esfera de cristal a fazer lembrar outros tempos. Depois veio a euforia universal, à volta da Stefania, a mãe da Ucrânia. Apesar do abat-jour na cabeça do rapper (que a certa fundura quase atingiu a velocidade do Busta Rhymes), o refrão é bonito e fica na memória.

Eis os Metallica lá do sítio; não sabemos se foi essa a Intention da Bulgária, mas parecia. O casaco mais famoso da meia-final veio dos Países Baixos, com somente um botão (teve de fazer De diepte para caber); o tamanho daquele cabelo loiro até ficou para segundo projecto – e a jovem quase chorou, no final. O visual do Trenulețul, da Moldova, foi uma mistura de Alient Ant Farm com Beastie Boys.

Portuguesas ignoradas

Depois, Portugal. Confirma-se que Maro continua com dores no pescoço, enquanto a cor preponderante no palco à sua volta prolongava os festejos do FC Porto. Durante o jogo do copo misturado com ritual ascendente, Maro ia olhando para a plateia, a tentar compreender a insensibilidade universal. A realização italiana não ia olhando para as outras cantoras lusas: no início ainda foi verosímil ver Carolina Leite, lá ao longe; mas depois só Milhanas teve recta a grandes planos. De resto, nunca vimos muito os rostos de Beatriz Fonseca, Beatriz Pessoa, Diana Castro e Milhanas. Nem uma vez, ao longo de toda a Saudade, saudade.

E quando se gostava de alguma música das Spice Girls mas ninguém admitia? Era um Guilty Pleasure, respondeu a Croácia, com o vestido mais vistoso da noite. Porquê o The Show tem de continuar, seguiu-se a Dinamarca: Maria Guinot? Só no início, com Bonnie Tyler no meio de confusão logo a seguir.

Os Aqua da Áustria vieram manifestar Halo e antecederam uma temporada mais calma, com as irmãs da Islândia (que poderiam ser as The Corrs mas não são) a cantarem Systur e com a Die Together da Grécia – que até teve momentos que são raros, sem seguimento músico e muito conseguidos.

Bananas em palco de seguida, com a Give that wolf a banana da Noruega, com recta a partes da letra da música por cima da imagem televisiva (se não foi inédito, foi quase). E o sossego voltou, para fechar: a Arménia recordou a inauguração da Ponte da Arrábida, no seu Snap – mas porque não se ouviu “I’ve got the power!”?

As menos más

No universal, foi uma meia-final fraca, porquê se ouviu na estudo em directo no Instagram logo a seguir ao evento, num espaço que contou com o cantor português Rui Andrade, que já esteve no palco da Eurovisão.

Além dos problemas técnicos e da realização quase amadora em alguns momentos, a maioria das canções não era de grande nível. Nem de médio.

Entre as menos más, ficam as 10 apuradas: Lituânia, Suíça, Ucrânia, Países Baixos, Moldova, Portugal, Islândia, Grécia, Noruega e Arménia.

Não se sabe quais foram as músicas com mais pontos. Os resultados só serão conhecidos depois da final do próximo sábado.

Antes, ainda haverá a segunda meia-final, na quinta-feira. Com outra qualidade.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Deixe um comentário