Prefeitura de Bayeux, na Paraíba, paga servidores aquém do

0
5140

A Prefeitura Municipal de Bayeux pagou, nesta quinta-feira (24), sem reajuste, os salários dos aposentados e pensionistas, pessoal da vigilância, professores e servidores do pedestal. Outrossim, segundo o Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Bayeux (Sintramb) denuncia o indumento de estar sendo pago salários aquém do mínimo pátrio, estabelecido em lei.

“Os servidores estão revoltados e denunciam que a prefeita Luciene Gomes comete delito ao não seguir a lei. Servidores dizem que não têm quantia para passagem, já que nem isso a prefeitura paga. Os professores, também revoltados, dizem que a prefeita publica fake news e não pagou o reajuste do piso pelo segundo mês. Relatam ainda que estão recebendo o mesmo salário de 2020 e pagando uma alíquota subida de previdência; que a prefeitura também não ofertou suporte para internet, celular e computador para dar as aulas e estão pagando do próprio bolso”, detalha o Sintramb. 

:: Saiba por que o salário mínimo do Brasil está entre os mais baixos do mundo ::

Promessas descumpridas

A prefeita de Bayeux, Luciene Gomes (PDT), prometeu remunerar o reajuste aos professores do município, de entendimento com a Lei do Piso do Magistério, que garante o reajuste fundamentado no operação do dispêndio Valor Aluno Anual (VAAF), dos dois anos anteriores, que atingiu os 33,24%. No entanto, não cumpriu, mesmo os recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Instrução Básica e de Valorização dos Profissionais da Instrução (Fundeb), já estando no caixa da Prefeitura desde janeiro.

Luciene Gomes (PDT) enviou o Projeto de Lei (PL) procrastinado para a Câmara de Vereadores, que trata especificamente do reajuste do magistério, mas, não menciona o percentual, nem a jornada do Projecto de Cargos, Curso e Remuneração de 25 horas, nem os níveis e classes, a GEAD, além de não apender a tábua salarial. Já as categorias do pedestal e vigilância, que não precisam de PL, receberam também salário sem reajuste.

Outro lado

A reportagem entrou em contato, nesta sexta (25), com a prefeitura de Bayeux para esclarecimentos sobre o pagamento dos salários sem reajuste e aquém do valor mínimo, mas não obteve retorno até o momento.

Nascente: BdF Paraíba

Edição: Heloisa de Sousa e Rodrigo Durão Coelho

Nascente: Brasil de Indumento

Deixe um comentário