Província Federalista anuncia operação para coibir festas e

0
5015

O governo do Província Federalista anunciou, nesta terça-feira (22), que uma grande operação de fiscalização está sendo montada para o período de carnaval, com o objetivo de coibir a realização de festas e eventos com aglomeração de pessoas. Um decreto em vigor desde o início de janeiro proíbe uma série de atividades públicas, uma vez que shows, festivais e eventos.   

“A gente recebe sempre notícias de festas de carnaval já com ingressos sendo vendidos, já com programação sendo feita, e todos esses locais serão fiscalizados. Não está sendo provável a realização desse tipo de sarau, e ainda assim as pessoas estão divulgando, estão vendendo ingressos, realizando cobranças, e os órgãos de fiscalização estarão nesses locais e não permitirão que esses eventos se realizem”, afirmou o secretário-chefe da Vivenda Social do DF, Gustavo Rocha, durante coletiva de prensa para detalhar as medidas.

Ao todo, pelo menos 41 festas que estão sendo anunciadas estão na lista das que serão fiscalizadas por órgãos de controle da capital. Além das forças de segurança, uma vez que polícias social e militar e Corpo de Bombeiros, estarão nas ruas agentes da Secretaria de Estado de Proteção da Ordem Urbanística do Província Federalista (DF Lícito), Procon, Instituto Brasília Ambiental, Vigilância Sanitária, entre outros.

:: DF registra quase 100% de ocupação nos leitos públicos de UTI por covid-19 ::

“A gente vai ter reforço nas nossas equipes. Naqueles pontos que a gente sabe que alguns blocos, algumas pessoas têm o rotina de festejar o carnaval, a gente vai estar realizando a fiscalização, no intuito de orientar as pessoas de que não está permitida a realização de festas públicas de carnaval”, afirmou o secretário de Segurança Pública, Júlio Danilo. Ele destacou que a fiscalização será divida em seis grandes regiões da capital. 

O titular da Secretaria do DF Lícito, Cristiano Mangueira, ressaltou que nenhum evento com viés carnavalesco, pago ou não, está autorizado, mesmo que realizados em estabelecimentos comerciais. As penalidades, segundo ele, variam de R$ 4 milénio a R$ 20 milénio, com possibilidade de interdição do estabelecimento ou do promotor responsável por até 60 dias.

“Não adianta o estabelecimento camuflar esse tipo de cobrança por meio de couvert, ou por meio de cobrança de consumação”, enfatizou.

O gerente da Vivenda Social do Palácio dos Buritis pediu compreensão e colaboração da população. De congraçamento com Gustavo Rocha, os números da pandemia estão melhorando no DF, em seguida a explosão de casos no início do ano, mas ainda é preciso cautelar.

Leia também: Cancelamento do carnaval mexe no regime de trabalho? Confira o caso de cada capital do país

“Apesar disso [da melhora], ainda há uma pressão muito poderoso no sistema de saúde. As UTIs estão com um percentual muito proeminente de ocupação e, por essa razão, o governador falou ontem, ainda não é o momento de fazer flexibilizações, principalmente em períodos de sarau. A gente verifica que sempre quando há um período de sarau, réveillon, natal, férias, há um pico da elevação da contaminação da covid cá no Província Federalista”.

A seguir, veja o que pode e o que não pode funcionar durante o período de carnaval em Brasília, segundo as regras em vigor:

O que está proibido:

– Eventos carnavalescos, uma vez que bailes, shows, blocos, desfiles, pagos ou não, ainda que realizados em estabelecimentos comerciais, uma vez que bares, restaurantes, mansão de festas, casas noturnas e afins;

– Shows, festivais e afins com cobrança de ingresso ou qualquer tributo do público, ainda que revertida em consumo;

– Bares, restaurantes e casas noturnas que tenham espaço para dança;

– Festas com cobrança de ingresso, uma vez que raves.  

O que está permitido:

– Bar com música ao vivo sem cobrança de ingresso e sem espaço para dança (poderá ser cobrado couvert artístico);

– Shows, festivais e afins, sem cobrança de ingresso ou qualquer cobrança de público, e sem espaço para dança, mediante a comprovação de imunização e uso de máscara pelos participantes;

– Eventos esportivos mediante uso de máscaras pelos participantes;

– Circo, cinema e teatro de qualquer natureza estão permitidos;

– Casas ou estabelecimento de festas, e realização de casamentos, sem cobrança de ingresso.

Manancial: BdF Província Federalista

Edição: Flávia Quirino

Manancial: Brasil de Traje

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.