quem tem mais seguidores, pode infringir mais regras

0
3485

Nordskov Media / Flickr

Quem tiver mais de 5 milhões de seguidores, tem prioridade e é favorecido no momento da publicação de conteúdos.

Quando se publica no TikTok – ou noutra plataforma – há regras. Quem não executar as regras, não publica. Ou melhor, até pode publicar mas pouco depois a publicação desaparece.

No entanto, há quem tenha de enfrentar umas regras e há quem tenha de enfrentar outras regras.

Confuso?

A revista Forbes explica: quem tem mais de 5 milhões de seguidores no TikTok, tem prioridade. É favorecido no momento da moderação de conteúdos.

A revelação surgiu através de uma gravação áudio que foi feita durante uma reunião dos directores.

Influencers, celebridades, outros perfis mais populares: todos são favorecidos no sistema de moderação da plataforma. E, caso esses ultrapassem limites extremos, o “prelecção” é mais suave do que a sanção aplicada à maioria dos utilizadores.

Durante essa reunião que ficou gravada, um responsável admite: “Não queremos tratar esses utilizadores uma vez que se fossem uma conta qualquer. Há um pouco mais de tolerância, diria eu”.

Os responsáveis do TikTok asseguram, no seu portal, que as suas directrizes da comunidade “se aplicam a tudo e a todos”, com um sistema de moderação que mistura tecnologia e factor humano.

Outro factor de diferenciação é a equipa que modera os conteúdos: quem tem no mínimo 5 milhões de seguidores não é “controlado” pela equipa de Kuala Lumpur, na Malásia – porque é a equipa mais inflexível, mais rigorosa; não permite “uma risca fora do sítio”.

E na mesma reunião é oferecido um exemplo: Addison Rae, dançarina e actriz que é uma das pessoas mais seguidas no TikTok.

“Se ela mostrar um pouco da sua tanga, o sistema pode marcar a publicação de forma negativa. Acho que poderíamos ser um pouco mais indulgentes”, comentou outro funcionário.

Há quase um ano, foi noticiado que o TikTok tem outras preferências, no seu algoritmo, no que diz reverência à formosura. No momento do reconhecimento facial, a tecnologia dá prioridade a homens brancos de meia idade. E é severo para os novos utilizadores.

O novo Google tem desinformação

Noutro contexto, o relatório da NewsGuard avisa: 20% dos resultados de pesquisa na ocupação são desinformação.

Foram analisados 540 vídeos neste estudo. 105 desses vídeos tinham afirmações falsas ou enganosas. Guerra na Ucrânia e COVID-19 estavam entre os assuntos abordados.

Esta indicação é importante, no momento em que muitas pessoas – sobretudo adolescentes – utilizam o TikTok uma vez que a sua nascente de pesquisa principal, no dia-a-dia. É o novo Google para muita gente.

Um porta-voz do TikTok assegurou que não há circulação de informações falsas na plataforma.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Seja um visitante de carteirinha, assine nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos

Deixe um comentário