Reino Unificado “empurra” ao Brasil uso de agrotóxicos que

0
4987

“O Reino Unificado está exportando sua pegada de agrotóxicos para outros países”. É mal o jornal britânico The Guardian começa um texto em que divulga um novo relatório da Pesticide Action Network UK, publicado nesta quarta-feira (23). Clique cá para ler a íntegra do relatório.

Baseada no estudo, a reportagem mostra que o aumento do transacção com o Brasil está “financiando” por cá o uso de agrotóxicos que são proibidos no território da Grã-Bretanha. 

Ambientalistas consultados pela reportagem do The Guardian disseram que o aumento do transacção exterior com o Brasil no pós-Brexit (saída do Reino Unificado do conjunto econômico da União Europeia) pode incentivar o uso desses agrotóxicos e contribuir com a devastação do meio envolvente brasílio, em próprio da Amazônia.

:: Carrefour é réprobo por vender provisões com agrotóxicos proibidos ou supra do limite ::

“O secretário de transacção do Reino Unificado está promovendo o transacção com o Brasil porquê ‘oportunidades reais para continuar no transacção virente’. Enquanto isso, o uso excessivo de pesticidas altamente tóxicos no Brasil está contribuindo para a devastação da Amazônia e de outros ecossistemas de relevância crucial, contaminando a chuva e envenenando trabalhadores rurais e comunidades”, afirmou à reportagem o director de políticas e campanhas da Pesticide Action Network UK, Josie Cohen.

“No entanto, o governo não forneceu detalhes sobre porquê garantirá que os provisões brasileiros vendidos nas prateleiras do Reino Unificado não contribuam para a crise global do clima e da natureza”, concluiu Cohen.

:: Relator do PL do Veneno fez convénio por dívida de R$ 1,5 milhão com a Syngenta ::

Contradições

Em entrevista, Vicki Hird, coordenadora da campanha de cultivação sustentável da Sustain, afirmou que o Reino Unificado promove campanhas valorizando a redução no uso de agrotóxicos em seu território. Segundo ela, porém, parece não ter problemas em “exportar” os impactos ambientais e de saúde humana para o Brasil.

“A maioria dos consumidores do Reino Unificado não tem teoria de que segmento da mesocarpo que estão comendo foi alimentada com soja cultivada com produtos químicos altamente tóxicos. No momento, o governo do Reino Unificado está falando muito na redução dos danos causados ​​pelos pesticidas no Reino Unificado, mas parece não ter problemas em exportar nossas pegadas ambientais e de saúde humana para o Brasil”, disse Hird.

A reportagem aponta ainda a possibilidade de os impactos se aprofundarem com a aprovação de novas normas legais para regulação do uso de agrotóxicos no Brasil, porquê o Pacote de Veneno. O Brasil de Indumento tem mostrado que esse projeto de lei flexibiliza ainda mais o uso de agrotóxicos e é “patrocinado” por ruralistas e representantes do agronegócio.

:: Câmara dos Deputados aprova “Pacote do Veneno”, em gesto ao agronegócio ::

“O governo brasílio está atualmente promovendo um projeto de lei que reduziria as leis para proteger a saúde humana e ambiental dos pesticidas. Mesmo sem esse novo pacote de leis, os agricultores brasileiros podem usar quase o duplo de pesticidas perigosos que os do Reino Unificado, incluindo o herbicida mortífero Paraquat, que causou dezenas de milhares de mortes em todo o mundo por intoxicação agudo, e neonicotinóides , que são tóxicos para as abelhas”, diz o texto. 

Recentemente, o governo do Reino Unificado propôs um projeto de lei que punirá as empresas que têm desmatamento em suas cadeias de suprimentos, incluindo agricultores na Amazônia que desmatam a floresta tropical. No entanto, não existe tal lei para pesticidas.

Edição: Rodrigo Durão Coelho

Manadeira: Brasil de Indumento

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.