Tradutor do Google deixou de viver na China. Ninguém o utilizava

0
5273

Firmbee / Pixabay

Empresa deixou de disponibilizar o serviço devido a “baixa utilização”, de contrato com a própria Google.

Quem morar na China e quiser trasladar palavras, frases ou textos completos no Google…não vai conseguir.

O serviço de tradução do Google, o Google Translate, deixou de estar disponível na China desde sábado pretérito.

Quem tentou aquiescer à relação habitual, era (e é) imediatamente redireccionado para a página do tradutor em Hong Kong.

“Descontinuámos o Google Translate na China devido à sua baixa utilização“, justificou um porta-voz da Google no portal The Register.

É mais um serviço Google que desaparece dos computadores e dos telemóveis na China: Gmail, Chrome e os serviços de pesquisa da empresa não estão disponíveis há alguns anos.

A Google chegou à China há 16 anos mas nunca teve uma relação pacífica com as autoridades locais, acusadas de políticas duvidosas e mesmo de increpação.

Depois de três anos a admitir os pedidos do Governo chinês, em 2010 a Google deixou de fazer censuras pedidas por Pequim.

A saída da China começou aí. A Google alegou ter sido escopo de ciberataques, que pretendiam ter entrada a contas de activistas chineses de direitos humanos.

No mês pretérito a participação da Google no mercado chinês, no mundo da internet, foi de 4%. Chegou a ser de 97%, em 2009.

Por isso, a “baixa utilização” do tradutor seria mesmo real. Seriam muito poucos os chineses (tendo em conta a graduação do país) a utilização desse serviço da Google.

O Baidu é o motor de procura que “reina” na China.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Seja um visitante de carteirinha, assine nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos

Deixe um comentário