Um enorme e “potencialmente perigoso” asteróide vai passar perto da Terreno

0
7289

Kevin Gill / Flickr

O asteróide tem quase o tamanho do Burj Khalifa, o prédio mais cocuruto do mundo, que mede 828 metros de profundeza, e vai passar pela Terreno a 68 vezes a velocidade do som.

De conciliação com a NASA, um novo e “potencialmente perigoso” asteróide com quase o tamanho do prédio mais cocuruto do mundo vai passar perto da Terreno mesmo a tempo do Dia das Bruxas.

O asteróide chama-se 2022 RM4 e tem um diâmetro estimado entre 330 e 740 metros. Porquê termo de verificação, o Burj Khalifa, o arranha-céus mais cocuruto do mundo, tem 828 metros de profundeza.

O asteróide vai acenar-nos no firmamento a uma velocidade a rondar os 84 500 quilómetros por hora, tapume de 68 vezes a velocidade do som, escreve o Live Science. No momento mais próximo, o asteróide vai estar a unicamente 2,3 milhões de quilómetros do nosso planeta, o que corresponde a aproximadamente seis vezes a intervalo média entre a Terreno e a Lua.

Levante é assim classificado porquê um “near-Earth object” (objeto perto da Terreno) por passar a menos de 193 milhões de quilómetros de intervalo do nosso planeta. É também “potencialmente perigoso” por ser um grande objeto e passar a uma intervalo menor do que 7,5 milhões de quilómetros.

Quando são identificadas, estas potenciais ameaças são vigiadas de perto pelos astrónomos, que procuram sinais de que possam mudar repentinamente de trajetória e vir em direção à Terreno.

Recorrendo aos quatro telescópios do sistema ATLAS (Asteroid Terrestrial-impact Last Alert System), a NASA faz esta ronda cósmica da Terreno e mantém tapume de 28 milénio asteróides por baixo de olho.

A escritório norte-americana já estimou as trajetórias de todos os near-Earth objects para além do termo deste século e, por enquanto, não há nenhum risco apocalíptico à vista.

Caso a situação venha a mudar, pelo menos podemos dormir mais descansados em seguida o recente sucesso da missão DART da NASA, que testou o seu sistema de resguardo planetário através do meandro de asteróides.

A China está também a desenvolver um projecto semelhante, tendo o famoso asteróide Bennu porquê fim. Apesar de ter unicamente uma verosimilhança de 1 em 2700 de colidir com a Terreno, um choque com o Bennu seria devastador devido ao seu enorme tamanho. Os cientistas chineses querem disparar ao mesmo tempo 23 foguetes de Longa Marcha-5, cada um com um peso de 900 toneladas, contra o asteróide.

  ZAP //

Deixe um comentário