Voos privados de 3 minutos? Famosos sob queimada por serem “criminosos ambientais”

0
407

Kylie Jenner / Instagram

A socialite Kylie Jenner com a filha num avião privado

O caso da socialite Kylie Jenner é o mais recente numa longa lista de famosos que usam aviões privados para viagens curtas. As emissões per capita nos jactos são entre cinco e 14 vezes maiores do que nos voos comerciais.

A socialite Kylie Jenner viu-se recentemente no meio de uma novidade polémica. A jovem bilionária e membro do clã Kardashian fez um voo de jacto privado que durou exclusivamente 17 minutos, tendo nesse pequeno período emitido uma tonelada de gases com efeito de estufa — um quarto das emissões que uma pessoa média justificação por ano.

Esta não é a primeira vez que Jenner usa aviões privados para viagens curtas. A magnata dos cosméticos recentemente fez um outro voo de exclusivamente 27 minutos e um que nem chegou aos cinco minutos, tendo durante exclusivamente três minutos.

Nas redes sociais, os ataques não tardaram, com muitos utilizadores a acusarem-a a empresária de ser uma “criminosa climática a tempo inteiro” e de se estar a marimbar para o planeta.

“Estas pessoas usam jactos porquê se fosse um Uber“, escreveu um utilizador. “Por que é que tenho de limitar o meu consumo de mesocarpo e usar palhinhas de papel enquanto o 1% continua a mandar toneladas de carbono para a atmosfera por uma viagem de um dia até Palm Springs?”, atirou outro.

Mas Jenner está longe de ser a única. Entre os mais ricos e famosos, usar aviões privados e poluentes para viagens curtas é uma práctica universal. O bot Celebrity Jets no Twitter acompanha os voos dos jactos dos famosos e só no último mês, o boxer Floyd Mayweather fez uma viagem de exclusivamente 10 minutos.

Já o rapper Drake fez um voo de exclusivamente 18 minutos onde emitiu cinco toneladas de gases com efeito de estufa. Kenny Chesney, cantor de música country, fez uma viagem de 20 minutos num avião privado, assim porquê o jogador de golfe Jack Nicklaus, que emitiu duas toneladas de carbono em exclusivamente 21 minutos no ar.

A socialite Kim Kardashian, mana de Kylie Jenner, também fez recentemente um voo de 30 minutos onde mais três toneladas de carbono foram emanadas para atmosfera, e o actor Mark Wahlberg foi o responsável por mais quatro toneladas que estão a poluir o nosso planeta.

“Não me surpreende que as pessoas estejam zangadas, têm razão”, revela Jack Sweeney, instituidor da conta Celebrity Jets, que usa dados de uma empresa que regista os dados das transportadoras.

Os jactos privados são responsáveis por tapume de 4% de todas as emissões da aviação, segundo um estudo de 2016. No totalidade, estes voos emitem mais de 33 milhões de toneladas de gases com efeito de estufa por ano, mais do que todo o país da Dinamarca. Oferecido serem pequenos e com poucos passageiros, as emissões per capita são entre cinco e 14 vezes maiores do que nos voos comerciais.

Oriente hábito não é único dos mais ricos que está a pôr em justificação o porvir do planeta. Um estudo de Novembro da Oxfam concluiu que as emissões do 1% mais rico da população mundial serão 30 vezes maiores do que aquilo que é necessário para se conseguir manter o aumento da temperatura global subordinado de 1.5ºC — o objectivo definido no Contrato de Paris de 2015.

O 1% do topo, que são menos do que os 83 milhões de habitantes da Alemanha, estão a seguir uma tendência de emissão de 70 toneladas de dióxido de carbono por pessoa anualmente.

Estes valores são um grande contraste com a mera tonelada anual que a metade mais pobre do planeta emite. Até 2030, os mais ricos serem os causadores de 16% de todas as emissões.

  Adriana Peixoto, ZAP //

Deixe um comentário